Feira de Livros no X ENECULT

feira

A tradicional Feira Mensal de Livros estará na Universidade Federal da Bahia, no PAF III, em Ondina, integrando a programação do X Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura (Enecult), a partir de  27/08, sempre das 13h às 18h. Assim como em outras edições, as editoras baianas marcarão presença no local, entre elas, a Livraria Autores Baianos, Edufba, Bazar 27, Pallas Editora, Cedraz, União Brasileira de Escritores (UBE), entre outros.

Os 10 Livros recomendados por Bill Gates

biil gates - books

Conhecido pela sua carreira a frente da Microsoft, Bill Gates (o tio Bill para os íntimos) é um fã de literatura.Mesclando o mundo dos negócios com grandes clássicos, alguns com tradução para o português ou em versão digital. Bill Gates  acredita que todos deveriam ler estes dez livros:

1) Meus Anos com a General Motors – Alfred Sloan

“Se você quer ler apenas um livro sobre negócios, esse é o livro a ser lido”.

2) O Apanhador no Campo de Centeio – J.D. Salinger

“Eu só fui ler aos 13 anos e desde então eu digo que é o meu livro favorito. É muito inteligente, pois mostra como jovens podem enxergar coisas que os adultos não entendem. E eu sempre amei isso”.

3) Uma Ilha de Paz – John Knowles

“Meu segundo livro favorito é esse. É fenomenal, estive lendo para o meu filho recentemente e é incrivelmente bom.”

4) O Grande Gatsby – F. Scott Fitzgerald

Bill Gates já se fantasiou como Gatsby e possui uma citação do livro na porta de sua biblioteca pessoal.

Leia aqui (em português)

5) A Vida é o que Você Faz Dela – Peter Buffet

“Melinda [sua esposa] e eu lemos e gostamos muito. É um livro tocante que planejamos passar para nossas crianças”.

6) SuperFreakonomics: O Lado Oculto do Dia a Dia – Steven D. Levitt e Stephen J. Dubner

“Eu recomendo esse livro a todos que gostam de não-ficção. Foi muito bem escrito e está cheio de grandes ideias”.

7) That Used to be Us [sem tradução] – Thomas Friedman

“Esse é um livro fantástico e eu realmente encorajo as pessoas a lerem. Ele fala sobre como o mundo está mudando, focando principalmente nos desafios dos Estados Unidos”.

8) For the Love of Physics [sem tradução] – Walter Lewin

“Esse livro mostra o intelecto extraordinário, a paixão pela física e como Lewin é um professor brilhante. Espero que traga ainda mais pessoas para a  ciência”.

9) O Instinto da Linguagem – Steven Pinker

10) 10 Mandamentos para Fracassar nos Negócios – Donald R. Keough

“Don possui uma combinação especial de experiência, sabedoria, confiança e consciência. Seus mandamentos poderão ajudá-lo nos negócios muito mais do que uma estante cheia de livros”.

 

Livros, do papel para o digital

Aplicativo barateia a versão eletrônica de livros impressos
 
ibooks

A companhia canadense BitLit pode ter dado o pontapé para uma bela solução para os que possuem uma extensa biblioteca e não querem pagar o preço cheio para adquirir a versão eletrônica dos livros que já têm. Um acordo com a editora HarperCollins permite que os donos dos livros usem um aplicativo da empresa para tirar uma foto da página que contém as informações de direitos autorais do título desejado, em que os donos devem escrever seu nome em tinta escura. Feito isso, uma tecnologia desenvolvida pela BitLit reconhece a autenticidade da página, evitando a necessidade de apresentar outros documentos, como Nota Fiscal, e permite que seja comprada uma edição eletrônica do mesmo livro com preço mais baixo que o normal.

“O BitLit oferece aos leitores um modo de engajamento com seus livros já comprados, e assim podem ler o conteúdo no formato que preferir. É um valor adicional que damos aos nossos consumidores com preço reduzido e isso também se transforma em mais vendas para nossos autores”, disse a gerente de conteúdo digital da Harper- Collins, Chantal Restivo-Alessi.

Os primeiros livros disponibilizados pelo programa são Halfway to the Grave, de Jeaniene Frost; Black Magic Sanction, de Kim Harrison; Cryptonomicon, de Neal Stephenson; Wicked, de Gregory Maguire; Os Princípios do Sucesso, de Jack Canfield, e 15 Seconds, de Andrew Gross. Cada título deve ter preço entre 2 e 3 dólares, com novo livro adicionado a cada semana pela editora.

E, como nem tudo no mundo da tecnologia é bem pensado, a Motorola lançou uma espécie de adesivo-tatuagem que se comunica com os smartphones Moto X e os desbloqueia. Basta um toque do dono com o smartphone contra a “tatuagem” para o que o telefone fique pronto para o uso, ou seja, logo teremos pessoas pelas ruas batendo com seus telefones contra o braço ou o pescoço sem que isso seja indício de tique nervoso. Cada tatuagem dura perto de cinco dias e a Motorola as vende em pacotes de dez unidades por cerca de 10 dólares. Mas elas não resolvem nada que um toque na tela não resolva. E de forma muito menos ridícula.

Ler na Praça promove distribuição de livros em Salvador

650x375_lazaro-cesar-ler-na-praca_1438220

Fonte: Atarde

Graças ao projeto Ler na Praça, os moradores do bairro de Brotas tiveram, nesta segunda-feira, 11, a oportunidade de colocar a leitura em dia. Cerca de 5 mil livros, entre didáticos e literários, foram disponibilizados para doação.

O projeto é independente e existe há 15 anos, mantido pelo comerciante Lázaro César Planzo Sandes, 53 anos. Ele conta que tomou a iniciativa com o objetivo de disseminar o conhecimento.

“No início, reuni algumas revistas da minha  casa e fui até a praça. Chamei umas crianças que estavam brincando na rua, disse que podiam pegar as revistas de graça e elas adoraram. Logo, amigos e conhecidos começaram a me procurar para doar livros e dar continuidade à iniciativa”, contou.

Hoje, Lázaro promove pequenos eventos para fazer a entrega dos livros. A intenção é atrair todo tipo de público, em diferentes bairros da cidade, como Piatã, Plataforma, Amaralina, e  Uruguai. Quando tem oportunidade, Lázaro também leva o projeto para cidades do interior como Cachoreia, Irará e Muritiba.

A próxima entrega de livros em Salvador está prevista para 12 de outubro, Dia Nacional da Leitura, mas o local ainda não foi definido.

A dona de casa Nilzene Santana, 38 anos, costuma frequentar a sede do projeto. Desta vez, ela escolheu livros de biologia e de geografia. “Geralmente, procuro por livros didáticos para ajudar os meus filhos na escola. O projeto é ótimo, pois muita gente não tem condições de comprar livros”, elogia.

“Não recebo nenhum incentivo da prefeitura ou do governo do estado. Gasto, por mês, quase R$ 2 mil para manter a sede. Gostaria que o projeto tivesse maior visibilidade, que as autoridades contribuíssem com um apoio mensal”, diz Lázaro.

Como ajudar

Hoje, o comerciante  acumula mais de 50 mil livros na sede do projeto. Qualquer pessoa pode contribuir com doações de livros usados.

Segundo Lázaro, basta que o doador vá até a sede na rua Teixeira Barros, nº 12, próxima à Escola de Engenharia Eletro-Mecânica da Bahia, em Brotas.

Se preferir, o doador também pode ligar para o número (71) 9937-1089 e marcar um horário para que algum colaborador da sede vá buscar a doação em domicílio.

“O importante é não deixar o livro parado”, afirma

[Livro] Arquivologia, biblioteconomia, museologia e ciência da informação: o diálogo possível

Mais um lançamento da Editora Briquet de Lemos:

Livro Arquivologia, biblioteconomia, museologia e ciência da informação: o diálogo possível

(Clique para ampliar)

ARQUIVOLOGIA, BIBLIOTECONOMIA, MUSEOLOGIA E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO: O DIÁLOGO POSSÍVEL

 

Carlos Alberto Ávila Araújo

Brasília, DF : Briquet de Lemos / Livros / São Paulo : Associação Brasileira de Profissionais da Informação (ABRAINFO), 2014.

ISBN 978-85-85637-54-5

“Na trajetória histórica do conhecimento humano, áreas surgem e outras perecem, atendendo a necessidades, preocupações, interesses, imposições, questionamentos, dominação, etc. A arquivologia, a biblioteconomia, a museologia e a ciência da informação são abordadas, neste livro de Carlos Alberto Ávila Araújo, tanto em seus aspectos históricos, como na síntese das correntes e modos de explicá-las e entendê-las.

Trabalhando no espaço das discussões apresentadas acima, o autor enfatiza a importância do diálogo entre as áreas, refutando qualquer entendimento de dominação de uma por outra. Os objetos ou os núcleos do objeto não impedem a relação. Ao contrário, exigem a troca, o diálogo. As áreas de interesse do livro precisam uma das outras. A existência isolada pode até ser possível, mas acarretando empobrecimento teórico e prático; um olhar apenas para o próprio âmago, alijando-se do mundo, dos homens e das outras ciências; um não pertencimento ao universo do conhecimento humano.

Este livro enquadra-se entre os que propõem algo novo. O novo é o questionamento, o desnudar dos conflitos, a apresentação dos antagonismos. O novo exige um repensar; transforma o conhecimento e o reorganiza, o reestrutura.

O desejo de qualquer autor é retirar o leitor da passividade das certezas, é criar dúvidas, é transformar as posições apresentadas em questionamentos. Texto bom, para mim, é aquele que gera conflitos no leitor, conflitos que exigem um novo olhar em nossas sedimentadas verdades. O livro de Carlos Alberto Ávila Araújo é um exemplo desse tipo de texto.” (Do prefácio de Oswaldo Francisco de Almeida Júnior.)

Carlos Alberto Ávila Araújo possui doutorado em ciência da informação pela Universidade Federal de Minas Gerais (UGMG) (2005) e pós-doutorado pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto (2011). É professor da Escola de Ciência da Informação da UFMG.

Sumário

Prefácio vii
Apresentação xi
Introdução
1 Objetivos e estrutura do livro 5
Capítulo 1. Arquivologia, biblioteconomia e museologia: traços históricos e teóricos comuns 10
1. A consolidação de um modelo 10
2. A superação do modelo 17
2.1 A perspectiva funcionalista 19
2.1.1 Pensamento funcionalista na arquivologia 21
2.1.2 Pensamento funcionalista na biblioteconomia 28
2.1.3 Pensamento funcionalista na museologia 34
2.1.4 Síntese das teorias funcionalistas 41
2.2 A perspectiva crítica 42
2.2.1 Pensamento crítico na arquivologia 45
2.2.2 Pensamento crítico na biblioteconomia 48
2.2.3 Pensamento crítico na museologia 51
2.2.4 Síntese das teorias críticas 56
2.3 O estudos sobre os sujeitos 56
2.3.1 Estudos de usuários na arquivologia 58
2.3.2 Estudos de usuários na biblioteconomia 61
2.3.3 Estudos de público na museologia 66
2.3.4 Síntese das teorias sobre os sujeitos 72
2.4 Estudos sobre representação 73
2.4.1 Estudos sobre representação na arquivologia 73
2.4.2 Estudos sobre representação na biblioteconomia 76
2.4.3 Estudos sobre representação na museologia 80
2.4.4 Síntese das teorias sobre representação 83
3. Perspectivas contemporâneas 84
3.1 Perspectivas contemporâneas em arquivologia 85
3.2 Perspectivas contemporâneas em biblioteconomia 87
3.3 Perspectivas contemporâneas em museologia 91
3.4 Síntese das perspectivas contemporâneas 96
Capítulo 2. Ciência da informação: origem e evolução 99
1. O surgimento e a consolidação nos anos 1960 99
1.1 Da bibliografia à documentação 99
1.2 O espaço institucional da biblioteconomia 102
1.3 Os primeiros ‘cientistas da informação’ 104
1.4 As tecnologias e o conceito de informação 107
1.5 A fundamentação: teoria matemática 108
1.6 A consolidação de uma área 110
2. A ciência da informação em outros contextos 112
2.1 As ciencias de la documentación: a experiência espanhola 112
2.2 Sciences de l’information et de la communication: o fenômeno infocomunicacional 114
2.3 Os information studies canadenses 117
3. Caracterizações da ciência da informação 118
4. Teorias e subáreas da ciência da informação 123
4.1 O estudo dos fluxos de informação científica 123
4.2 Representação e recuperação da informação 126
4.3 Os estudos de usuários da informação 129
4.4 A gestão da informação e do conhecimento 132
4.5 Economia política da informação 135
4.6 Estudos métricos da informação 137
5. O conceito de informação: três modelos 139
5.1 Diferentes sistematizações do conceito de informação 139
5.2 Três conceitos de informação 141
5.3 Síntese: conceitos de informação nas subáreas de pesquisa 146
Capítulo 3. A proposta de aproximação entre as áreas 152
Considerações finais 163
Referências 168
Índice 191

 Ficou interessado? Para adquirir o seu, clique aqui.

Agenda Edufba – agosto

edufba agosto

Confira os eventos nos quais a Edufba estará presente no mês de agosto

​Responsável pela publicação de obras técnicas, científicas e profissionais, a Editora da Universidade Federal da Bahia também participa de eventos nas diversas áreas do conhecimento

Além de promover o seu 4º Lançamento Coletivo, em agosto, a Editora da Universidade Federal da Bahia estará presente em diversos eventos, para divulgação e venda de sua obras, oferecendo desconto de até 50%. Entre eles, a Edufba participa da 23ª Bienal Internacional do Livro e do X Enecult – Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura, promovido pelo Centro de Estudos Multidisciplinares em Cultura do Instituto de Humanidades, Arte e Cultura Professor Milton Santos da UFBA.

De 11 a 15 de agosto a Edufba estará representada no  II Seminário de Desenvolvimento Regional, Estado e Sociedade – SEDRES, que acontece na Universidade Estadual da Paraíba. No período de 12 a 15 de agosto, a Editora lança no X Seminário Internacional Rede Estado, que acontece na Universidade do Estado da Bahia (UNEB) os livros Qualidade do Ensino, organizado por Sandra Regina Soares e Édiva de Sousa Martins, Entre-linhas: educação, fenomenologia e subjetividade e Entre-linhas: educação, psicanálise e subjetividade, ambos organizados por Maria de Lourdes Soares Ornellas e Sueli Ribeiro Mota Souza.

Já nos dias 18, 19 e 20, a Editora também estará presente na I Semana de Letras – Língua Inglesa: Providing Learning Opportunities for Future Teachers que também acontece na UNEB.

No dia 21, a Edufba tomara parte na Feira do Livro, em parceria com a Fundação Pedro Calmon, que neste mês acontecerá no Campo Grande. A Editora participa ainda da Reunião do Fórum Nacional de Secretários e Dirigentes Estaduais de Cultura, que acontece dia 22, no 3º andar da Biblioteca Pública do Estado da Bahia, nos Barris, oferecendo 20% de desconto em suas obras disponíveis em estande da 9h às 12h.   

Na 23ª Bienal Internacional do Livro, que acontece no pavilhão de Exposições do Anhembi, na cidade de São Paulo, no período de 22 a 31 de agosto, a Editora contará com um estante, onde divulgará suas obras ao público presente. O evento atrai mais de 700 mil visitantes de todas as idades e oferece mais de mil horas em atividades culturais, com uma programação cultural abrangente e diversificada, que vai desde literatura à gastronomia.

E nos dias 25, 26 e 27 de agosto, a Edufba participa do Seminário de Planejamento de Cidades. O evento traz a temática Governança e Desenvolvimento como forma de contribuir para o debate na comunidade acadêmica e regional acerca do conhecimento científico e técnico sobre o planejamento de cidades e contará com diversos minicursos e oficinas.

Já nos dias 27, 28 e 29 de agosto,  haverá estandes da Editora no foyer da Reitoria da UFBA (Canela), no PAF III (Ondina) e no PAC (Vale do Canela) durante o  X Enecult. Na oportunidade, haverá lançamento de vários titulos, juntamente com editoras de todo Brasil. Entre eles, estão Cultura em movimento: memórias e reflexões sobre políticas públicas e práticas de gestão, das autoras Cláudia Leitão e Luciana Guilherme e Memória e Cultura: itinerários biográficos, trajetórias e relações geracionais, organizado por Milene de Cássia Silveira Gusmão e Raquel Costa Santos.