Touch Code System – Conheça a tecnologia sucessora do QR Code

Tecnologia permite que qualquer aparelho touchscreen leia informações escondidas em códigos transparentes

A empresa alemã Printechnologics criou algo que poderá substituir o QR Code. A tecnologia, chamada de Touchcode, permite que códigos transparentes sejam impressos em papel para serem acessados com um aparelho touchscreen. Dessa forma, o Touchcode pode guardar endereços de sites, vídeos, fotos ou arquivos de áudio.

Segundo um vídeo da própria companhia, o código pode ser impresso em diversas superfícies, além de poder ser usado para diversas finalidades como publicidade em revistas e jornais, validação de ingressos de eventos e levar mais informações aos consumidores sobre produtos adquiridos.

“O Touchcode é diferente, porque permite que você simplesmente acesse os conteúdos, segurando um dispositivo touchscreen próximo da impressão, sem precisar de nenhum leitor específico”, comentou Sascha Voigt, fundador da Printechnologics. “A tecnologia combina o preço baixo do QR Code com a segurança e benefícios do RFID [identificação por radiofrequência através de uma etiqueta]. Além disso, ele é reciclável”, completou.

Para entender como a tecnologia funciona, assista ao vídeo abaixo.

Via Olhar Digital

Anúncios

Uma vida feita de vidro

Em um futuro próximo…

O vídeo é um conceito, mas, que não deixa de fantástico. Novas formas de interação, sincronização, compartilhamento etc. Uma experiência de uso bastante rica

 

E o pessoal da Corning já lançou o video 2

 

Celulares mais inteligentes, conheça o Nokia Situations

Imagem

labs da Nokia anunciou os experimentos com um aplicativo chamado “Nokia Situations“.

A ideia é que o celular se adapte automaticamente a vários contextos.

Ele se adeque à situação em que você está.

Por exemplo, perceba que você está dormindo e automáticamente desative várias funções. Ou ainda que você está numa reunião e mude o ringtone.

Tudo isso se daria por meio de informações ao seu redor ou não, como localização, tempo, dia da semana, eventos em sua agenda, além do tipo de conexão usada (Wi-Fi, 3G).

É um pouco a ideia de adicionar “inteligência” aos dispositivos.

Ou de “conteúdo inteligente“, que, na área de consumo de informação, funcionaria da seguinte forma. Um site de notícias detectaria que eu estou em trânsito e destacaria mais notícias sobre tráfego e, quem sabe, ditar as notícias, já que estou com as mãos no volante e não posso ler.

Enfim, os dispositivos e os conteúdos se adaptariam automaticamente a certos contextos.

Deputados em Goiás compram 108 iPhones 4 com dinheiro público, mas não sabem o porquê

Por Felipe Ventura

O iPhone 5 está para ser lançado mês que vem, mas Goiás não quis esperar: a Assembleia Legislativa do estado comprou 108 unidades do iPhone 4 16GB para deputados estaduais, assessores e secretários. O mimo custou R$214.056 aos cofres públicos, ou R$1.982 por aparelho. E por que gastar quase R$2.000 num celular? Ao que parece, para acessar o Twitter e o Facebook.

A justificativa no edital de compra dos celulares é: “propiciar aos parlamentares, diretores e chefias o acesso com mobilidade aos sistemas corporativos em desenvolvimento nesta Casa de Leis”. Bem, este “sistema corporativo” não precisa rodar necessariamente num iPhone, certo? Façam para Android e comprem aparelhos mais baratos – um Android simples com teclado físico sai a R$600, por exemplo.

OK, mas suponhamos que o iPhone é mesmo necessário para esse tal “sistema corporativo”. Então por que não comprar o 3GS? Ele é mais barato e com certeza rodaria um app interno da Assembleia Legislativa – a menos que criar leis exija uma Retina Display. Só que o edital exige especificamente um iPhone 4: apesar de não citá-lo pelo nome, as configurações listadas – 3G, câmera de 5MP e tela com resolução 640×960 – são do iPhone 4.

Só que, na hora de justificar a compra, os deputados não sabiam o porquê de um iPhone 4.Ao JR News, o deputado estadual Joaquim de Castro (PPS-GO) diz: “se você for aqueles que gostam de Twitter, se você é um tuiteiro, para isso será relevante”. José Vitti (PRTB-GO) diz algo semelhante: eles viram a necessidade de “terem um microcomputador em mãos, para que possam utilizar o Twitter e o Facebook”. O presidente da Casa e tuiteiro assíduo, deputado Jardel Sebba (PSDB), não foi encontrado para comentar a compra.

Olha, quando os deputados mineiros compraram iPads 2 em agosto, pelo menos eles deram uma justificativa decente – economizar papel. (Claro que não havia necessidade de ser um iPad, muito menos o modelo mais caro.) Agora iPhone 4 sem um bom motivo? Fiquei chocado com a proposta, e ainda mais porque ela foi aprovada!

A licitação foi realizada em 1° de setembro, e a fornecedora que venceu a licitação tem até 20 dias úteis para entregar os iPhones 4. Ou seja, os aparelhos chegam pouco antes da Apple lançar o iPhone 5 – quando o preço do iPhone 4, consequentemente, vai cair. Tsc tsc. [Ass. Leg. de Goiásvia R7 e Mais Goiás]

Google Maps é usado em pedido de casamento

Engenheiro de software da empresa usa seus conhecimentos para guiar a namorada por locais que marcaram o romance do casal. No final, o rapaz a aguardava para pedi-la em casamento.

(Fonte da imagem: Google Blog)

Quem disse que romantismo e tecnologia não combinam? Ari Gilder é engenheiro de software da Google e apaixonado por sua namorada, Faigy. O rapaz resolveu utilizar suas habilidades profissionais em nome do amor.

Em comum acordo com o chefe da namorada, Gilder fez com que a garota recebesse um smartphone Nexus One com o Google Maps pré-carregado. Nesse mapa, o engenheiro demarcou seis pontos que fizeram parte da história romântica do casal.

A partir do local inicial, Faigy sabia apenas o primeiro destino. Ao chegar a tal localidade, a jovem recebia uma rosa e precisava responder a uma pergunta relacionada a acontecimentos amorosos dela com o namorado para desbloquear o próximo destino. Assim, ela chegou ao ponto final, onde Gilder a aguardava para pedi-la em casamento.